segunda-feira, maio 14

Projeto Mãos que tecem histórias...



O Assentamento Reunidas da Reforma Agrária localiza-se no município de Promissão e é considerado o maior assentamento de terras do estado de São Paulo, com 585 famílias. O assentamento que há 25 anos se instalou na cidade, é hoje considerado um "modelo" no Brasil. Somados os assentamentos Reunidas e Dandara, são quase 800 famílias assentadas em Promissão, que respondem por um volume muito expressivo da produção agrícola do município.
Com tamanha representatividade do assentamento de terras na região, o município conta com alguns setores públicos que colaboram com as necessidades desses agricultores rurais: INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), ITESP (Instituto de Terras do Estado de São Paulo) e SENAR (Serviço Nacional de Apredinzagem Rural) prestam diversos serviços, entre eles vários projetos de capacitação para as artesãs residentes no assentamento.
São capacitações de artesanato com bambu, fibra de coco, palha de milho, bucha vegetal, pintura de tecido, etc. Estas capacitações são de enorme importância para o empoderamento destas mulheres, além de uma oportunidade para aumentar a renda da família através da comercialização dos produtos confeccionados.
Finalizada a capacitação, os artesãos não conseguem comercializar os produtos por falta de incentivo para promoção de venda deste aprendizado. Ou seja, este investimento nem sempre representa melhorias, pois os trabalhadores rurais não tem acesso ao consumidor, desconhecem meios de comercialização e não dispõe de formas de divulgação de seus trabalhos. 
Desta forma, os objetivos do projeto “Mãos que tecem histórias...”  são:
Ø  Defender e desenvolver ações que proporcionem a conservação, a preservação e a recuperação de trabalhos artesanais, visando o resgate e o reconhecimento da identidade cultural da região;
Ø  Apresentar possibilidades de negócios existentes no segmento, direcionando seus membros para o reconhecimento da capacidade de rentabilidade no setor;
Ø  Fortalecer os processos de gestão, promoção e comercialização dos grupos artesanais;
Ø  Aumentar as vendas e abrir espaço para novos mercados, ampliando o número de produtos artesanais e o número de artesãos envolvidos, com produtos dentro dos padrões de qualidade exigidos pelo mercado.
            O projeto consiste em oficinas que visem diagnosticar e avaliar as potencialidades da região, artesãos e técnicas de artesanato. Após o diagnóstico começa o planejamento, onde designer e artesãos passam a definir o tipo de trabalho a ser desenvolvido. A partir deste planejamento serão realizadas as capacitações, com melhoria das condições técnicas do produto, e processo de produção e vendas. 

Metodologia:
Mapeamento das potencialidades locais em Técnicas de artesanato: A intenção é mapear todas as potencialidades que temos na região. As artesãos que se destacam na costura, no bordado, no crochê,  na pintura, etc...
Mapeamento das potencialidades da matéria-prima local: Aproveitar os materiais encontrados na região (sementes, folhas, fibras, etc) com o acompanhamento de um Engenheiro Agrônomo visando o manejo sustentável deste material.
Mapeamento dos refugos indústriais de Promissão e região: Aliar o uso da matéria-prima do assentamento com resíduos da indústria (como o bagaço da Cana-de-açucar da empresa RENUKA, além de retalhos de tecido e couro de confecções da região).
Reconhecendo e valorizando a identidade local: O produto do artesão deve ser visto como materialização de seu complexo patrimônio cultural. A gestação dos objetos com clara identidade dos lugares em que são feitos passa não apenas pela manutenção e desenvolvimento das técnicas e materiais locais, mas também por sua linguagem – domínio que o designer tem muito a oferecer. Essa demanda surge principalmente nos lugares em que a prática artesanal é mais recente ou em que o artesanato se encontra mais descaracterizado.
Planejamento: A partir da definição do tipo de trabalho a ser desenvolvido é que se pode planejar a compra de material a ser utilizado, a equipe, o espaço, a duração e o instrumental necessário para as oficinas.
Capacitações paralelas: Durante o processo de criação dos produtos os artesãos também terão capacitações em áreas comerciais, administrativas e jurídicas.
Lançamento, divulgação, comercialização: O projeto visa o lançamento dos produtos em uma grande feira de artesanato a nível nacional [como a Fenearte(PE) e Feira Nacional de Artesanato (MG)], com lançamento simultâneo do catálogo e do site do projeto. A proposta é informar o consumidor sobre a história por trás daquele produto, de onde ele veio, quem o fez, qual a tradição embutida naquela peça, etc. O projeto tem previsão para participar de ao menos cinco feiras por ano para a correta divulgação dos produtos.
Acompanhamento: Para um projeto de design+artesanato começar a ‘andar’ sozinho, ou seja, para que os artesãos envolvidos se profissionalizem e passem a produzir, vender e distribuir com sustentabilidade, são necessários, em geral, três anos. A previsão para um ano de projeto tem o planejamento de oficinas quinzenais de 16 horas, totalizando 24 oficinas em um ano. As oficinas serão realizadas aos sábados e domingos com duração de 8 horas cada. O projeto tem previsão mínima de 3 anos para correto acompanhamento e direcionamento dos artesãos envolvidos. No segundo e terceiro ano as oficinas podem ser realizadas somente uma vez por mês.


         O projeto é inovador na medida que aproveita um investimento público (estadual pelo  ITESP e federal pelo INCRA e SENAR) que já é realizado, para potencializar suas ações. Além de promover uma alternativa para geração de renda para o grupo de agricultores e artesãos, o projeto também gera um impacto social de valor incalculável, trabalhando as identidades culturais locais fazendo com que os artesãos tenham mais orgulho em relação às suas origens e ao seu cotidiano, aumentando seu sentido de pertencimento. Além do mais, a produção artesanal está sintonizada com a noção contemporânea de sustentabilidade, que compreende os conceitos de ambientalmente responsável, economicamente inclusivo e socialmente justo.


Este projeto será utilizado como trabalho de conclusão de curso em Pós Graduação em Direção de Criação para Moda e Design no Instituto ORBITATO (Pomerode/SC).


Gostou do Projeto? Curta na página do Movimento Hot Spot

Quer  colaborar com esta idéia? Participe de sua cocriação no Festival de Idéias

Quer colaborar financeiramente para a realização deste projeto?
fale comigo: juliana_foz@yahoo.com.br

Um comentário:

  1. Such a great blog!!! I love it!

    Would you like to follow each others blog via GFC and Bloglovin in order to keep in touch?

    Lots of love,

    www.nicoleta.me

    ResponderExcluir